“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Primos

13 comentários

Os nossos pais viveram sempre na mesma cidade.

Nós precisamos de nos situar geograficamente se falamos ao telefone.

Quando éramos pequenos, corríamos pelo pátio, pelos quintais, atrás das risadas e dos chilreios.

Agora continuamos a correr, sempre atrasados, sempre em urgências.

Dantes falávamos de viagens, projectos, sonhos e pequenos luxos.

Hoje falamos da crise, da precariedade dos nossos empregos; evitamos os projectos adiados e já nem referimos os sonhos adormecidos.

O que aconteceu ao brilho que nos antecedia?

O que está a acontecer à nossa pátria que, como diz o Caetano, devia ser mátria?

Tomai lá do O´Neil

Opressão paint

Para todos os primos da minha geração: Nós não somos os perfilados de que fala O´Neil!

Perfilados de medo

Perfilados de medo, agradecemos

o medo que nos salva da loucura.

Decisão e coragem valem menos

e a vida sem viver é mais segura.

Aventureiros já sem aventura,

perfilados de medo combatemos

irónicos fantasmas à procura

do que fomos, do que não seremos.

Perfilados de medo, sem mais voz,

o coração nos dentes oprimido,

os loucos, os fantasmas somos nós.

Rebanho pelo medo perseguido,

já vivemos tão juntos e tão sós

que da vida perdemos o sentido.

Anúncios

Autor: Frasco de Memórias

https://frascodememorias.wordpress.com

13 thoughts on “Primos

  1. agora, fiquei sem palavras… e é difícil, para mim, ficar nesse estado.

  2. Ana,

    …”a correr, sempre atrasados, sempre em urgências”…

    Gostei muito deste teu post !
    Concordo com tudo . Passamos a vida a correr e perdemos (muitas ) das coisas engraçadas e mais simples e bonitas da vida.
    Dá que pensar.
    Daí eu falar tanto de “vidinha no campo “.

    Olha Ana,um beijo.

    José

    • José,

      já não vivo no campo.
      Estremoz é uma cidade; alentejana, mas cidade 😉
      Falta-me tratar do pátio para ficar com um cantinho verde.
      Mas há dias em que não me agrada mesmo nada o rumo deste país e dos primos da minha geração.
      Amanhã, há-de brilhar o Sol!

      Beijo,

      Ana

  3. A vida dá e tira.
    Normalmente corta no tempo do que é bom e é uma mãos largas no que dispensamos.
    Se não fosse assim será que daríamos valor ao bom do mundo?
    Cabe a nós, parar pensar e abrandar. Olhar para o lado pois a paisagem deve também ser apreciada.
    Os textos são como quadros, e eu interpretei o teu assim.

    Beijinhos

    • É tudo verdade, Maria!
      Às vezes, é muito difícil abrandar e olhar para a paisagem.

      Gosto da ideia dos textos serem quadros 😉

      Beijinhos,
      Ana

  4. A minha avó dirá que é a vida, mas por vezes fico angustiada com estas mudanças todas. :S

  5. Ana, gostei muito das reações. Já é um bom começo para que tudo melhore.
    Um beijo.
    Manoel

  6. Sempre houve perfilados, em todas as gerações. E custa muito, quando são os ‘nossos’…
    O medo perfila as pessoas, mas eu acho que é sobretudo a falta de exemplos positivos e elevados e o vazio de (bons) estímulos e referências.
    É importante contrariar esta apatia geral, este estado do ‘tem que ser assim’ – por isso é que este blogue é tão bom! 🙂

    • É toda uma geração perfilada, porque nos podem tirar o trabalho, o sustento,… e parece que nos esquecemos que nunca nos podem a liberdade de pensamento e que, ainda, temos liberdade de expressão.
      Vamos organizar uma legião para contrariar a apatia!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s