“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Velas

12 comentários

De regresso à leitura solitária, depois de meses de encantamento e partilha de livros com a Beatriz.

Consegui, finalmente, equilibrar os dois momentos.

Livros

Comecei com A Boneca de Kokoschka e tive de seguir com Afonso Cruz: Para onde vão os guarda-chuvas.

Ainda na página 145 e já com várias pontas de páginas dobradas.

-Os telescópios não servem para aumentar as estrelas, mas para diminuir o ser humano. São máquinas de nos fazer pequenos.

-As estrelas somos nós. Quando Alá nos observa, é como quando nós olhamos para o céu: o que Ele vê são luzes. Cada homem é uma vela a brilhar no escuro […] é assim que Ele consegue ler à noite.

Para além do prazer de ler frases destas, em continuum, adormeço tranquila com a ideia de que sou um vela de Alá e que é (também) por minha causa que Ele lê os seus livros à noite.

Boa leitura!

 

Anúncios

Autor: Frasco de Memórias

https://frascodememorias.wordpress.com

12 thoughts on “Velas

  1. Já tentei ler hugo mae, mas não consegui – o estilo dele não combina com o meu. Desisti por enquanto. E fiquei muito curiosa quanto ao livro de Afonso Cruz. O título é bastante instigante.

    Ficaria imensamente feliz se tivesse um livro meu aí nessa lista. rs
    bacio

    • Lunna,

      de hugo mãe só li as crónicas: depois manifesto-me em relação a este livro.
      Gosto muito de ouvi-lo.

      A Boneca de Kokoschka de Afonso Cruz é magnífica. Este (Para onde vão os guarda-chuvas) é mais duro, mas muito bom.

      Delicio-me com os posts da Lunna, mas tenho de ir procurar um livro.

      Só agora consegui responder ao comentário do meu post “De mãos dadas” 🙂
      A Lunna questiona-nos. Muito bom!

      Bacio,
      Ana

  2. ler e ficar assiiiiiiim, é tão bom! ( não sei se consegui transmitir a sensação). beijinho 🙂

  3. Olá Ana
    Também são três autores de que gosto muito. Li esse do valter há já algum tempo e gostei muito, mas mais ainda do “Filho de mil homens”. Do Mário de Carvalho “consumi” tudo. Esse não é dos que mais gosto, por acaso. No top está mesmo “Um Deus passeando pela brisa da tarde” Se ainda não leste, não hesites. É pura poesia. A “boneca…” foi o primeiro que li do Afonso e fiquei rendida. Ainda não li esse. Sabes, tive a sorte de o conhecer, em contexto de trabalho. É tão despretensioso que dá vontade de abraçar 😉 Uma curiosidade, que talvez já saibas, é neto do nosso figueirense, o fotógrafo Afonso Cruz.
    Um abraço para ti e ainda um beijo de parabéns atrasados para a Beatriz.
    Guida

    • Olá Guida!
      Eu regressei agora à leitura: que saudades!
      Gosto muito de Mário de Carvalho e ouvi-o no ano passado no Casino: de uma lucidez que nos faz tanta falta!
      Sei que Afonso Cruz é da Figueira, mas também soube que vive agora no Alentejo, em Avis. Achei muito curioso porque estou em Estremoz e já vivi em Avis.
      Talvez o venha a conhecer por aqui… e o abrace 🙂
      Um beijo, Guida!
      E agora fiquei com muitas saudades da minha/nossa cidade !
      Ana

  4. Ana, que graça de postagem essa sua. Muito lindinha. Parabéns!
    Um beijo,
    Manoel

  5. Sinto falta de ler à noite, sozinha. Quando realmente me interessava por um livro, era comum ele entrar em meus sonhos. É muito bom! bjs

  6. Conheço “Para onde vão os guarda-chuvas” e adorei!
    Dá vontade de reler só para sonhar…
    Abraços!

  7. Pingback: Construir |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s