“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Uma horta para ser feliz

12 comentários

Só o título e as páginas iniciais do “ciclo de vida feliz” seriam suficientes para eu me identificar com Marc Estévez Casabosch e ler cada parágrafo deste livro com toda a atenção.

Capa Uma horta para ser feliz

Primeira página

Mas com este livre aprendi muito.

A informação está com a profundidade q.b. de uma “Agricultura para totós”: ideal para o meu caso, mas com uma forte componente ideológica que eu subscrevo.

O “ciclo feliz” resume-se ao respeito pela terra e pelas plantas que nos oferecem folhas, flores e raízes.

Com os restos orgânicos destes manjares, satisfazemos as necessidades de duas galinhas ou construímos um compostor.

Com esta matéria (das galinhas ou do compostor), adubamos a terra que ficará pronta para acolher plantas fortes e saudáveis.

“A sustentabilidade em estado puro, em nossa casa!”

Numa horta ou num canteiro numa varanda.

Esqueçam a galinha, neste último caso…

Tomates amarelos

Lembram-se dos tomates amarelos?

Dica 1

O acolchoamento: significa cobrir a superfície de cultivo com matéria orgânica; pode ser palha ou folhagem ou composto.

Oferecemos nutrientes e sombra à terra, evitamos a evaporação, melhoramos a estrutura da terra e controlamos a proliferação de ervas daninhas.

Ou seja, nada de manter a superfície da terra imaculada; devemos simular o húmus da floresta dos nossos sonhos, com muitas folhas no chão.

O que já está na minha lista de compras?

Um fardo de palha!

 

Dica 2

As fases da lua são importantes.

A minha Avó consultava sempre a lua antes de semear ou plantar.

Eu ainda estou em processo: semeio quando tenho tempo… mas a minha teimosia em semear na altura errada tem-me dado alguns desgostos.

Por outro lado, já tive excelentes resultados quando segui as indicações e semeei no período Crescente da Lua!

Próximo objectivo: consultar o Borda d´Água!

 

Dica 3

Todas as plantas têm os seus caprichos e precisam de alguma atenção.

Para mim e para o autor, passear pelo quintal e olhar para os progressos das sementeiras é um prazer terapêutico de final do dia, assim como providenciar algum cuidado a uma das plantinhas.

bróculos

 

Dica 4

Qualquer pessoa pode ter uma mini horta, até numa floreira de uma janela sombria.

O livro explica-nos que plantas são mais resistentes e quais as mais delicadas; quais gostam de sol, sombra, solidão ou companhia,…

(Conseguem ver o acolchoamento de palha das alfaces?)

alfaces

Dica 5

O compostor, que eu já comprei na Casa Agrícola, deve ficar protegido do sol directo e do vento forte.

Deve conter um equilíbrio entre resíduos ricos em nitrogénio (verdes): restos de verdura e cascas de fruta, relva do jardim e ervas,… e resíduos ricos em carbono (castanhos): folhas secas, palha, papel, serradura, …

compostor

Dica 6

Adoptar duas galinhas!

Para já passo esta sugestão: não simpatizo com aves; é mesmo outro reino!

Daqui a uns meses voltamos a falar…

Só esta fotografia é que me faz repensar esta minha aversão aos galináceos.

galinhas do livro

Dica 7

No final do livro, surgem muitos contactos e ideias para hortas urbanas, como o Minigarden de que gostei muito.

 

Dica 8

“A horta é o melhor pretexto para começar a agir com consciência ecológica […]

Reutilize caixas de ovos para fazer as semeaduras […]

Deixe que a imaginação o conduza a bom porto e desperte a criatividade de toda a família.

Esta é a herança mais valiosa que pode deixar aos seus filhos. […]

Inicie esta revolução silenciosa em favor da felicidade.”

 

Não preciso de dizer mais nada!

 

 

 

Anúncios

Autor: Frasco de Memórias

https://frascodememorias.wordpress.com

12 thoughts on “Uma horta para ser feliz

  1. está tudo dito. eu que ando a preparar uma horta na varanda tenho muito caminho a fazer. beijinho. bom fim de semana! 🙂

  2. Não precisas mesmo! Não me canso de dizer: “quem me dera!” Beijinhos e bom fim-de-semana

  3. Devo me mudar em alguns dias e ficarei sem varanda pelos próximos meses. Mas quero muito ter uma horta como tive na minha infância. Fico sempre com os olhos em chamas quando vejo fotografias assim… bacio

  4. Esse livro parece ser delicioso! Gosto do estilo, do aspecto e do assunto! beijinhos!

  5. Que boa dica, este livro já está na minha lista de livros a adquirir na feira do livro. Nunca me ocorreu é semear consoante as luas. O livro explica esse processo? Ainda ontem falei da utilidade do Borda-d’Agua. É desta que adquiro um todos os anos. 😉

    • Olá!
      O livro explica quais são os momentos favoráveis para semear e aqueles que se devem evitar.
      É um livro de cabeceira para novos agricultores!
      As minhas distrações já tiveram custos; agora também consulto o Borda d´Água 🙂
      Um abraço,
      Ana

  6. Olá Amiga!
    Que bom ter vindo ao teu blog hoje! Uma “achega” para gostares mais de galináceos: 100% ovos biológicos!!!
    Beijos grandes,
    Virgínia

    • Querida Virgínia!

      É mesmo verdade!
      Mas sou de afectos e custa-me ter uns bichinhos que não posso pôr ao colo.
      Ou será que posso?
      As galinhas da minha Mãe sempre me pareceram um pouco tontas 😦
      Dá-me uns meses 😉
      Abraços apertados com saudades!
      Ana

  7. Pingback: Compostor |

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s