“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Rolling Stone

5 comentários

Num mundo perfeito não haveria ginásios: passeávamos todos juntos, numa floresta, perto de casa, até o sol se pôr, depois de um dia em que tínhamos caminhado o suficiente para desentorpecer os músculos.

No mundo real, levo uma vida sedentária e o percurso entre o parque de estacionamento e o trabalho é a caminhada mais longa que faço.

O que não significa que não corra durante todo o dia: para me/nos preparar de manhã, para o trabalho, para fazer bem todas as inúmeras tarefas do dia, para ir buscar a Beatriz, para jantar, para deitar a Beatriz… e para cair na cama.

Mother is a rolling stoneHá dias em que a ansiedade e o stress não param de correr, mas o corpo quase não saiu do sítio.

Tem-me feito bem inverter as correrias: o corpo corre, a mente descansa tranquila, porque não pode fazer mais nada naquele momento.

Só isso explica a quantidade de runner que tem surgido.

O inconveniente do ginásio, para ser honesta, é só um: a selecção musical e o volume da música; de resto já me habituei à minha versão hamster em cima da passadeira.

O melhor que lá ouvi ainda foi esta música em altos berros.

Imaginem o resto!

O melhor do ginásio é, sem dúvida, a aula de Pilatos: só mesmo obrigada é que alongo os músculos e faço movimentos de rotação lentos e suaves!

Com música baixinha!

Imagem: French by Design .

 

Anúncios

Autor: Frasco de Memórias

https://frascodememorias.wordpress.com

5 thoughts on “Rolling Stone

  1. Ai está a descrição da nossa vida moderna…também ainda não encontrei solução para a inverter…ou talvez tenha e falta apenas a força para ultrapassar o medo de levar os planos para frente.
    Até lá vale-me (não o ginásio) a aula de Yoga para acalmar a mente e esticar o músculo 🙂

  2. É verdade. De facto entristece-me que os percursos sejam mais no ginásio e menos a pé, entre locais, rodeados de pessoas. O problema dos ginásios é ainda a disponibilidade de horários que temos para o encaixar na correria das nossas vidas-então com filhos pequenos… E o facto de termos de pagar uma mensalidade por ele. Tenho saudades de caminhadas e da liberdade de poder começar uma atividade às 19 h de um dia de semana 🙂 pelo menos vivo junto ao rio e aos fins de semana sempre caminhamos um pedaço. Já não é mau 😉

  3. Como te entendo. Relativamente ao problema musical, resolvi-o levando os meus phones e um mp3 com a minha selecção de musicas.

  4. Muitas vezes me sinto como a Alice no país das maravilhas, quando ela se indigna e fala para a rainha que precisa correr duas vezes mais apenas para permanecer no mesmo lugar. Isso é o que vivo atualmente também, com algumas pequenas brechas, onde me dedico a não olhar no relógio e deixo o tempo correr sem pressa. Beijo!

    • Também eu… se bem que às vezes sou o coelho!
      Nos fins-de-semana, deixo o relógio fora do pulso, num acto de rebeldia contra a tirania das horas.
      Boa semana, Helka!

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s