“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


3 comentários

Mala de Verão

Quase na reta final do trabalho e já só a conseguir ver imagens de férias perfeitas.

Ainda faltam uns dias, mas já fui buscar as malas e estão abertas no quarto.

Olhar para elas já me ajuda a respirar fundo e a antecipar estes dias off.

vestido brando de crochet

vestido preto

vestido brando com renda

vestidovestido laranja

vestido curto branco

vestido branco curto

vestido preto com pássaros

saia comprida e top

saia comprida e top

Depois de fazer esta selecção, fez-se luz: começo a perceber por que motivo a Beatriz só quer usar vestidos…

biquini branco e preto

E agora a grande questão: quase, quase nos quarenta… biquíni ou fato de banho?

fato de banho 2015

Ou triquini?

triquini preto

triquini

Uma das minhas amigas mais bonitas e esculturais, com mais de quarenta, experimentou um triquini:

-Nem pensar!

triquini laranja

triquini laranja

A mim não me passou tal ousadia pela cabeça e acho que me vou poupar a desilusões.

Volto ao confiável biquíni branco.

biquini branco

Resolvida à dúvida mais profunda do dia, volto aos relatórios, grelhas excell, pastas e processos que têm de ficar mais organizados do que a minha mala de viagem… e ainda hoje!

saída de praia 2015

Para viajar em imagens de Verão: DustJacket e Happily Grey.

 


1 Comentário

Gossip

Intervalo para café:

– Que barriga linda! Quantos meses?

– 5!

– Que maravilha! As alegrias da maternidade… blablabla (as agruras não vou ser eu a contar) blabla…

-Ah! Bom-dia, B.! Um ano de bebés! D., sabias que o B. também vai ser pai?

Olhares incrédulos:

– O B. é o pai do meu bebé!

O meu olhar incrédulo.

A processar:

– Ah! Que engraçado! Não sabia! Bem… Ah! Que engraçado! Muitas felicidades! Até logo!

The Chain of Gossip

-Vocês sabiam que o B. e a D. estão juntos? E que o B. é o pai do bebé da D.?

– Ana, toda a gente sabe. O pedido de casamento foi feito no Facebook!

Not-Gossiping-Networking paint

Preciso de férias para me actualizar!

Há mínimos!

Imagem: Chain of Gossip de Norman Rockwell.


3 comentários

The Meatrix

Numa altura da minha vida, quando eu era ovolactovegetariana, perguntaram-me se a outra metade do meu coração era vegetariana.

-Não, é alentejano!

De facto, no Alentejo é difícil não comer carne: é cultural, claro, mas mesmo hoje, apesar de todas as facilidades rodoviárias, o peixe continua a chegar ao interior contrariado e com má cara.

 

Actualmente, passo meses sem cozinhar carne, mas se só houver carne numa mesa como-a.

Sem prazer, mas para alimentar-me.

A pouca carne que compro é proveniente de pastoreio.

É muito mais cara, mas adopto o sistema de Jamie Olivier:

Livros do Jamie Olivier

“Se não a pode pagar seis ou sete dias por semana, reduza os custos e coma-a apenas três ou quatro vezes, como os Italianos o fazem – qualidade em vez de quantidade.

Acima de tudo, pergunte no talho de onde vem a carne, o que é que comeu e como é que foi tratada.

Esse é um bom sítio para começar.”

Ver este filme de 3 minutos também ajuda: The Meatrix.

 

Nem o tofu, nem o seitan são extremamente bem-vindos numa casa alentejana.

A não ser que venham sob-disfarce, o que nem sempre é fácil.

A receita que adaptei do Jamie Olivier não foi muito bem sucedida nesse aspecto:

é preciso gostar de tofu, ou pelo menos não o rejeitar.

Substituí o prosciutto por fatias de tofu…

papelote de tofu e cogumelo receita

Como é que é possível?

E ainda acrescentei a maior beringela do meu quintal, uma fatia de courgette e tomate!

ramo de cheiros

Cozinhar com papelotes de alumínio ou papel vegetal é muito prático e com uma ajudante como a Beatriz é divertido!

papelote de tofu aberto

Costumo dividir os ingredientes em quatro porções e são umas mãozitas irrequietas que fazem a distribuição pelos papelotes. Nem sempre as ervas aromáticas ou o sal ficam bem distribuídos, mas compensa ver a Beatriz tão empenhada e segura, a contribuir verdadeiramente para a alimentação da casa.

papelote de tofu cozido

Não é uma refeição vegetariana para iniciados, mas é bonita e deliciosa para quem já estiver habituado ao tofu.

Para os outros, sugiro que sejam fiéis à receita do Olivier e usem presunto de qualidade, de preferência de porco preto que vive nas planícies alentejanas e come bolota.

 


3 comentários

Ciao! tutto bene?

Um dos países europeus onde me senti muito em casa foi em Itália.

O facto de ter estudado (e ensinado) Latim e ter sido uma das últimas alunas de Maria Helena Rocha Pereira  talvez tenha contribuído para esta sensação de estar num país familiar.

Como os italianos são tão expressivos, quase sempre os compreendi.

E a língua é tão cantada que mesmo quando não percebia, ficava embalada pela onda melódica e anuía com a cabeça. Só podiam estar a dizer maravilhas…

Para além disso, os italianos que conheci revelaram características que eu admiro nos seres humanos:

quiseram comunicar, esforçaram-se, foram ao meu encontro e mostraram curiosidade e apreço pelo meu País.

Jamie Olivier, de quem eu sou fã, também se encantou com Itália, com os italianos e com a sua gastronomia, tão intimamente ligada à alma do povo.

E eu tenho passado alguns fins de tarde com este sorriso ladino no colo.

Livros do Jamie Olivier

“Mas o que eu mais adoro nos Italianos e, apesar de terem dos melhores designers de moda e de automóveis do mundo, conseguirem manter uma percepção única de tradição e de comunhão de aldeia.

Hoje em dia, em aldeias por toda a Itália, ainda se encontram pessoas que trocam queijo por conservas de legumes, ou a tradicional aguardente caseira – grappa – por uma mostarda di Cremona.

Também acho incrível haver tradições e festivais que celebram a comida […]

Fiz esta viagem à Itália para aprender, mas também queria perceber porque é que este país manteve esta fantástica cultura gastronómica”.

É este o espírito que perpassa o livro: um chef, autor de bestsellers, que quer aprender com pessoas comuns o segredo das receitas italianas.

Com Capitano Vittorio.

Jamie Olivier cozinha na Itália

Com várias mammas.

Jamie Olivier na Itália massa fresca

Com pescadores.

Jamie Olivier cozinha na Itália 2

Revela-nos os segredos de pratos italianos clássicos, mas também de muitos outros que reflectem o melhor da dieta mediterrânica.

pizzas Jamie Olivier Itália

Crostini Jamie Olivier Itália

Regresso, bem acompanhada, a Itália, com receitas, fotografias e muitos textos de Jamie Olivier, sempre com um espírito leve, alegre e tão positivo… que me faz acreditar que posso ir já para a cucina e fingir que estou em Itália.

Sabiam que os italianos são o povo com a terceira maior esperança de vida (depois dos japoneses e dos islandeses)?

Arrivederci!

 

 

 

 

 


6 comentários

Casa Bonacho

Vivi dois anos em Ponte-de-Sor.

A Cristina, minha sócia-amiga vive em Ponte-de-Sor.

É uma cidade pequena que nasceu e cresceu devido à sua localização estratégica.

Hoje é uma referência mundial devido à indústria corticeira.

Do que eu mais gosto é da sua diversidade arquitectónica:

embora sem grandes monumentos, muitas casas testemunham as variações e modas arquitectónicas do século XX e XXI.

A Avenida da Liberdade é um exemplo.

É nesta Avenida que se localizam a Mercearia Casa Bonacho e a Confeitaria Avenida, os edifícios comerciais mais bonitos e acolhedores da cidade e, na minha opinião, de todo o Alentejo.

Casa Bonacho

Confeitaria Avenida

E aos poucos vai-se concretizando o projecto de vender produtos Frasco de Memórias em Coimbra, no Alentejo e em Lisboa.

Casa Bonacho

Em locais que gosto de frequentar.

Casa Bonacho

Fazendo parte de projectos em que acredito.

E com pessoas em quem confio.

Casa Bonacho

Casa Bonacho

Agora, para além de todas estas delícias, a Casa Bonacho tem Granolas e Doces Frasco de Memórias.

Casa Bonacho

Já não há motivo para passar Agosto sem Granola; basta uma visita a Ponte de Sor.

O outro motivo por que gosto de Ponte de Sor?

A gastronomia: é aqui um dos melhores restaurantes do país: o Padeiro.

Quanto à melhor salada de frutas é no Olivença.

Oferta cultural? Também tem: Teatro da Terra.

 


1 Comentário

Dunas

As dunas exalam um perfume quente e adocicado que, misturado com o vento do mar, revela a minha memória olfactiva de Praia.

Nas praias da Figueira já não existem dunas e, apesar do mítico areal, há muitas praias nas imediações da Praia da Figueira que já nem têm areia, a não ser na maré baixa.

Felizmente, há alguns anos, muitos municípios acordaram para a importância de preservar as dunas:

a bem da biodiversidade dos nossos areais que ficam sem rede quando desaparece a vegetação.

As dunas são sistemas muito frágeis e instáveis.

Tão frágeis que só de serem pisadas com frequência podem sofrer danos irreversíveis.

Há poucos anos, apareceram as passadeiras de madeira…

que só podem ser ignoradas por meninas muito bonitas que embelezam a paisagem.

Dunas e meninas bonitas

Se só com a passagem frequente, elas sofrem, imaginem com a construção desenfreada que se fez junto ao litoral…

Dunas plantas

dunas e chapéus