“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


10 comentários

Amassar

A Ana desafiou-nos para fazer pão.

Assim, num dia cheio de sol de Inverno.

Perfeito para caçar tesouros Lá Fora.

correr num monte alentejano

aproveitar-o-sol-de-inverno

E eu fui, com pouca convicção a pensar que íamos cozer 3 pães.

Vejam o que fizémos; correção – o que as duas Anas fizeram, porque eu fiquei tão abismada que quis registar tudo e pouco amassei.

Pão Alentejano

3 kg de farinha

70g de fermento

50g de sal

1-Amassar os ingredientes. A Ana tem esta máquina!

batedeira industrial doméstica

2-Levedar durante 3 quartos de hora num local aquecido.

massa-de-pao-a-levedar

3- Pesar a massa (a Ana é perfeccionista!), tender e moldar.

pesar-a-massa-de-pao

massa-de-pao-alentejano-moldada

Aproveitou-se ainda a massa para fazer pãezinhos com chouriço.

Entretanto a massa de pão moldada ficou tapada mais 10 minutos.

moldar-pao-com-chourico

4- Tudo pronto, passou-se para o forno.

massa-de-pao-antes-de-ir-ao-forno

pao-na-pa-do-forno

O forno já estava quente e com a cortina de calor: aquelas brasas rubras que impedem que o calor se perca.

cortina-de-calor-do-forno-de-lenha

5-Brincar enquanto o forno faz o seu trabalho.

quartel-de-bombeiros-em-miniatura

6-Retirar e cheirar muito.

pao-alentejano-acabado-de-sair-do-forno

7- Trincar… e eu viajei mesmo no tempo!

comer-pao-com-chourico-e-bom

As Anas ainda fizeram mais maravilhas!

Aguardem!


6 comentários

Cafofo

Uma colega de trabalho referiu-se ao meu gabinete como “o vosso cafofo”.

Cafofo (de origem banta) – [Brasil, Informal] – Local de habitação, geralmente modesto, mas aconchegante.

Como gosto de palavras expressivas fiquei rendida: que outra palavra sintetiza desta forma um ambiente acolhedor, contendo a ideia de fofo?

O “cozy” inglês é simpático, assim como o “acogedor” espanhol, mas o cafofo é outra coisa.

Foi no que pensei quando vi esta casa.

Com uma cozinha que recupera o meu desejo de ter tudo exposto e “à mão“.

cozinha-branca-retro-2

E esta ideia para pendurar as chávenas e pratos?

cozinha-branca-retro-delikatissen

cozinha-branca-retro1

Com materiais neutros e naturais, apesar de eu ter uma costela mais latina e colorida; quer dizer, várias costelas…

cozinha-mesa-madeira-artesanal

Agora, branco nos quartos é perfeito.

quarto-branco-retro-materiais-naturais

quarto-branco-retro

E já viram esta forma excelente, prática e original para pendurar os colares?

Nestes dias de Inverno, depois de um temporal, é a altura ideal para apanhar galhos para decorar a casa.

Estou a lembrar-me de que já não vou caçar estes tesouros há muito tempo.

quarto-branco-retro-como-pendurar-colares

Ideias super inspiradoras para o meu cafofo pessoal.

canto-de-sala-rustica

Do blog maravilha Delikatissen.

 


2 comentários

Create

 

Do whatever brings you to life, then.

Follow your own fascinations, obsessions, and compulsions.

Trust them.

Create whatever causes a revolution in your heart.”
Elizabeth Gilbert

 

Ao ler estas frases inspiradoras lembrei-me de Nelleke Verhoeff, outra artista a quem cheguei através do Instagram.

Todos os anos tenho uma ilustradora fetiche e palpita-me que já está escolhida a deste ano.

make-it-happen

 

more-than-you-think-postcardmind-over-matter-postcard

Frases e imagens inspiradoras ajudam-me a encontrar a revolução do coração.

Algumas vão circulando pelo meu ambiente de trabalho.

singing-in-my-brain

let-it-grow

fish_eyes

Todas as imagens pertencem a http://www.redcheeksfactory.com/

 

 


1 Comentário

Branquear

Iniciámos a leitura de uma nova coleção da nossa Biblioteca: “Histórias e Lendas Infantis”.

Os mitos e as grandes narrativas sempre nos fascinaram enquanto espécie e é muito bom observar e partilhar esse encantamento.

O que não está a deixar-me completamente em paz são os pormenores cruéis destas aventuras fundadoras do nosso espírito aventureiro, viajante e lutador.

Eu sei que para existir o Bem tem de aparecer o Mal e é, nesse contexto, que aparecem as peripécias sangrentas, mas…

Enfim, ando a branquear as histórias:

Robinson Crusoe não foi visitado por canibais que queriam comer o Sexta-feira; eram só selvagens mal intencionados que visitavam a ilha;

Rei Artur não trespassou dezenas de homens com a sua espada; só os vencia na luta e eles caiam;

Cíclope não mastigou os amigos de Ulisses nem a Schylla lhes arrancou a cabeça; só os mataram.

 

Coleção-historias-e-lendas-infantis

Estará correcto este branqueamento das histórias?

Andava nestas reflexões quando estoirou a polémica sobre v.h.m. e ainda fiquei mais desconfortável.

Sabem o que vou fazer?

Vou partir a redoma: está na altura de falar dos pormenores sangrentos, mas explicando-os e contextualizando-os.

Vai dar mais trabalho e vai ser mais duro mas de certeza que vão ser leituras e conversas muito mais enriquecedoras.

(Esta notícia também devia fazer estalar uma polémica, sobretudo a parte em que se refere que 14% das famílias dos alunos participantes no inquérito não têm livros em casa.)


4 comentários

6 anos

dominique-fortin-sea

as meninas

as minhas filhas nadam. a mais nova
leva nos braços bóias pequeninas,
a outra dá um salto e põe à prova
o corpo esguio, as longas pernas finas:
                                                                                                                                                                                       .
entre risadas como serpentinas,
vai como a formosinha numa trova,
salta a pés juntos, dedos nas narinas,
e emerge ao sol que o seu cabelo escova.
                                                                                                                                                                                       .
a água tem a pele azul-turquesa
e brilhos e salpicos, e mergulham
feitas pura alegria incandescente.

                                                                                                                                                                                       .

e ficam, de ternura e de surpresa,
nas toalhas de cor em que se embrulham,
ninfinhas sobre a relva, de repente.

Vasco Graça Moura, in Antologia dos Sessenta Anos

 dominique-fortin-3
as minhas filhas nadam. a mais nova
leva nos braços bóias pequeninas, […]
                                                                                                                                                                                       .
a água tem a pele azul-turquesa
e brilhos e salpicos, e mergulham
feitas pura alegria incandescente.”
 ♥
Saíste de repente da piscina.
Aquelas pernas esguias não são tuas.
São aquelas rechonchudas saltitantes.
Não, não são; és a menina da frente!
Cresceste.
Sou Mãe da menina da frente.
Enrola-te no meu colo, ninfinha.
Encolhe as tuas pernas esguias.
Ilustrações: Dominique Fortin.
dominique-fortin-6


4 comentários

Juntos

Iremos juntos sozinhos pela areia
Embalados no dia
Colhendo as algas roxas e os corais
Que na praia deixou a maré cheia.

As palavras que disseres e que eu disser
Serão somente as palavras que há nas coisas
Virás comigo desumanamente
Como vêm as ondas com o vento.

O belo dia liso como um linho
Interminável será sem um defeito
Cheio de imagens e conhecimento.

Sophia

mariana-miseravel-juntos

Imagem: Mariana, a Miserável.


5 comentários

Chico

Há paixões musicais que duram toda a vida e não dependem do momento que estamos a atravessar.

Chico Buarque mantém o mesmo efeito em mim, mesmo após mais de vinte anos de convivência.

O deslumbramento permanece.

Caetano dizia que as mulheres de Chico eram as mais fascinantes e é verdade.

A Beatriz deve o seu nome a uma dessas mulheres.

Na voz de Chico, todas as palavras são intensas e melodiosas.

Esta música sempre me intrigou: pela letra e pelo facto do Chico conseguir cantar a palavra “escafandrista” .

Já este dueto mostra a Chiara Civello a cantar com o Chico com o ar que eu teria se tivesse o talento e a oportunidade da Chiara.

As paixões de tantos anos comprovam que na essência somos os mesmos e que os destinatários do nosso encanto são os certos.

Certos, não, Perfeitos.