“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Universar

6 comentários

Mia Couto cria universos mágicos, com personagens maravilhosas, em que tudo pode acontecer, com a acutilância e sensibilidade expectável duma mente lúcida e poética.

Acabei O último Voo do Flamingo:

“O céu está em obras, só tem caído ferrugem lá das nuvens.”

“Quem voa depois da morte? É a folha da árvore.”

“As ruínas de uma nação começam no lar do pequeno cidadão.” (Provérbio africano)

“A guerra nunca partiu, filho. As guerras são como as estações do ano: ficam suspensas, a amadurecer no ódio da gente miúda.” [A mãe] andava com uma bilha a recolher as lágrimas de todas as mães do mundo. Queria fazer um mar só delas. O que faz a lágrima? A lágrima nos universa, nela regressamos ao primeiro início. Aquela gotinha é, em nós, o umbigo do mundo. A lágrima plagia o oceano.”

Um discurso poético mas cru, com um enredo policial que nos cativa, mas que nos leva à reflexão acerca da vida.

 

 

 

Anúncios

Autor: Frasco de Memórias

https://frascodememorias.wordpress.com

6 thoughts on “Universar

  1. Gosto imenso de Mia Couto. Tenho vários livros dele. Seus contos me fazem viajar por um universo lúdico. E uma leitura muito especial. Me faz muito bem viajar na companhia das linhas desse senhor.

  2. Li o Terra Sonâmbula, e gostei e li A Confissão da Leoa, que adorei. Ele tem uma forma de usar as palavras que parece encanto. 🙂 Tenho de pôr este na lista.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s