“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).

Distinto

Deixe um comentário

Tomei consciência, há pouco tempo, de que a lei que descriminalizou a homossexualidade é de 1982!

“Durante quase 100 anos, o Código Penal português, através dos artigos 70º e 71º, entendia a homossexualidade como “prática de vícios contra a natureza” e a punição passava, entre outras, pelo “internamento em manicómio criminal” e pela “interdição do exercício de profissão”.

Durante a ditadura em Portugal, a sociedade idealizada pelo regime de Salazar, excluía todas as pessoas que constituíssem um “perigo moral”, entre as quais os homossexuais. Estas pessoas, acusadas de conduta imoral ou vadiagem, eram internadas por longos períodos em estabelecimentos específicos, com vista a uma “reeducação”.

Com a revisão do Código Penal em 1982, a homossexualidade é descriminalizada em Portugal, constituindo uma viragem na lei.”

Definitivamente, não percebo este medo de quem é diferente.

Compreendo o eventual espanto ou estranheza; percebo que nos aproximemos daqueles com quem temos mais pontos em comum, mas não aceito esta vontade de dominar e eliminar o outro.

Nuccio Ordine orienta-nos :

“Só o conhecimento de que estamos destinados a viver na incerteza, só a humildade de nos considerarmos seres falíveis, só a consciência de que estamos expostos ao risco do erro podem permitir-nos conceber um autêntico encontro com os outros, com aqueles que pensam de maneira diferente de nós.

Por estas razões, a pluralidade das opiniões, das línguas, das religiões, das culturas, dos povos, deve ser considerada uma riqueza imensa da humanidade e não um perigoso obstáculo.”

O mesmo nos diz Juan Ramón Jiménez, com a intensidade de Asier Etxeandia:

Distinto

Lo querían matar
los iguales,
porque era distinto.

Si veis un pájaro distinto,
tiradlo;
si veis un monte distinto,
caedlo;
si veis un camino distinto,
cortadlo;
si veis una rosa distinta,
deshojadla;
si veis un río distinto,
cegadlo…
si veis un hombre distinto,
matadlo.

¿Y el sol y la luna
dando en lo distinto?
Altura, olor, largor, frescura, cantar, vivir
distinto
de lo distinto;
lo que seas, que eres
distinto
(monte, camino, rosa, río, pájaro, hombre):
si te descubren los iguales,
huye a mí,
ven a mi ser, mi frente, mi corazón distinto.


Una Colina Meridiana (1942-1950)

Primeira citação: daqui.

Segunda citação: daqui.

Imagem: daqui.

Autor: Frasco de Memórias

http://frascodememorias.com

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s