“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


13 comentários

Portas e Janelas

A Lunna desafiou-me a publicar 6 fotografias, subordinadas a um tema, no sexto dia de cada mês.

O tema de Abril é “Portas e Janelas”.

Ora, eu tenho uma adoração por portas e janelas, portanto este desafio era mesmo para mim!

Portas e janelas de Estremoz:

 

Da minha casa:

Janelas para os mundos mais incríveis que me rodeiam:

 

Obrigada, Lunna!

Bacio!

Anúncios


8 comentários

Presentes para a vida

O que pensa um amigo quando nos vê sem a alegria habitual?

Apenas numa coisa:

– Como pode ajudar-nos?

Não julga, não procura dar conselhos “todos sábios” para resolver a nossa vida, não quer saber todas as razões, …

Presentes para a vida

Fala-nos da Teoria da Relatividade e envia-nos presentes para a vida:

  • Sal: para temperar a vida q.b., sem esquecer as minhas origens;
  • Corações de limão e açúcar: o doce e o ácido da vida diária;
  • Uma carta para aquecer o meu coração com o melhor remédio de todos: a Amizade.

E assim se vai vencendo a distância geográfica…

E assim vou inundando a minha alma de sol…

E assim vou aprendendo o sentido pleno de palavras que pensava que já dominava.

Obrigada, amiga ♥ !


10 comentários

Vocação

O meu Pai trabalhou 36 anos com números, mas sempre gostou de letras.

Foi brioso na sua profissão, mas ia procurando as letras… nos livros, na rádio e até na política.

Reformou-se e a sua demanda intensificou-se:

cursou História na FLUC;

matriculou-se, depois, voluntariamente, em cadeiras tão diferentes como Estudos Literários ou História de Arte;

fez parte das listas dos melhores alunos do ano da Universidade de Coimbra;

e ganhou o Prémio Feijó.

Fê-lo com gosto, determinação e muito espírito académico.

Sem nunca perder a Humildade.

Agora concluiu a tese sobre o Mosteiro de Seiça: um tesouro abandonado, mas testemunho do nosso percurso nacional.

tese O Mosteiro de Santa Maria de Seiça

A SIC fez esta excelente reportagem sobre o Mosteiro, na rubrica “Abandonados” e o meu Pai é o primeiro interveniente a ser entrevistado pelo Pedro Mourinho.

Programa Abandonados Mosteiro de Seiça

É um bocadinho estranho ouvir o meu Pai a ser tratado por António!

PAI

 Parabéns!


16 comentários

Política

Quando alguém me fala dos empregos criados pelas grandes superfícies e pelas grandes empresas nacionais e internacionais,  eu penso em todos os empregos que se perderam, todas as lojas de bairro que fecharam, todas os pequenos produtores e intermediários que foram cilindrados.

Se este discurso é de esquerda ou de direita, pouco me interessa.

Há muito que os meus actos políticos se distanciaram dos partidos.

E, quer tenhamos consciência ou não, a verdade é que quase todos os nossos actos são políticos.

margarida mf ceramista

Desde o que escolhemos tomar ao pequeno-almoço, à quantidade de sapatos que temos, à forma como nos deslocamos, ao que fazemos ao fim-de-semana (enchemos os centros comerciais?), aos móveis que compramos no IKEA, ao que decidimos reciclar e trazer para nossa casa; à música que ouvimos ou aos livros que lemos.

Comprar muito e barato ou pouco e mais caro também são decisões com implicações globais e, consequentemente, políticas.

mf ceramista

Optar por marcas brancas ou por marcas portuguesas com tradição faz a diferença entre nos “globalizarmos” ou mantermos a nossa identidade.

Mas são mais caras!

Pois são, porque implicam mais despesas.

Mas será que precisamos mesmo de comprar tantos pacotes/t-shirts/sapatos, …?

Acho que tomei a verdadeira noção das consequências dos meus atos, quando me reaproximei da terra, comecei a trabalhar com as mãos e quis deixar o mundo um local melhor para a minha filha.

Reduzi consideravelmente o consumo, reciclo roupa, móveis, tenho o carro mais velho dos parques de estacionamento das imediações e tento ser mais autónoma através da horta.

Consegui mudar todos os antigos hábitos e vícios?

Não, mas sei qual é o caminho.

mf ceramista 2

Todas estas peças tão bonitas e delicadas são deste atelier.

Esta entrevista é de alguém que levou esta experiência ao limite.


11 comentários

A Beautiful Mess

Este é um blog que visito regularmente.

É escrito por duas amigas, Elsie e Emma, que partilham posts sobre tudo o que as inspira.

E que se apresentam assim:

We believe in taking time each day to make something pretty.

We believe in lifelong learning.

Most of all, we believe that life doesn’t need to be perfect to be beautiful.

É o meu lema de vida.

É um blog extremamente diversificado, despretensioso e bem-humorado.

Ultimamente ando a explorar as dicas fotográficas.

dicas fotográficas

Sempre gostei de fotografia: de ver e de sentir as fotografias nas mãos.

Mas nunca tive aulas (e precisava mesmo…).

Confio no instinto, na sorte e nas manias da minha máquina. E já a vou conhecendo…

Às vezes fico zangada com ela comigo; outras vezes satisfeita.

Muitas das dicas são mesmo para quem está a iniciar a sua relação amorosa com esta arte;

a algumas já eu tinha chegado por tentativa-erro.

Mas tenho gostado muito de lê-las para comprovar que estou no bom caminho.

E para aprender outras novas!

1ª dica: não usar flash – arruína-me qualquer imagem… tira-lhe o aveludado

(aqui está um termo mesmo técnico: aveludado… humm… )

com ou sem flash

2ª dica: optar sempre pela luz natural.

Procuro sempre uma divisão com grandes janelas e a hora do dia mais bonita: a manhã ou o fim da tarde (no Verão).

Quando se é “aselha”, as fotografias nocturnas ficam tremidas… tantas!

dia ou noite

3ª dica: ter cuidado com o cenário – não convém que cause ruído sobre o que realmente queremos fotografar.

Esta dica ajuda-me a focar; tenho um carácter, por natureza, propenso à dispersão.

cuidado com o cenário

4ª dica: encontrar os nossos pormenores e trazê-los para a fotografia.

Nem sempre arrisco, mas gosto muito da partilha destes momentos de intimidade.

a importância dos pormenores

pormenores

5ª dica: não contar com programas para editar a fotografia – tentar que fique logo como idealizámos.

Este é um dos conselhos que mais tenho ouvido do meu Pai.

O outro é não usar o zoom.

Dicas de quem é da era da fotografia analógica e que se empenhava em cada fotografia que tirava.

Todas estas lições são do blog A Beautiful Mess.


21 comentários

De mão dada

Duas frases de homens.

Duas celebrações do Amor.

Apanhadas por Pedro Mexia.

«A única regra segura nesta matéria é tratar sempre com uma mulher, e nunca com as mulheres.

«Mulheres» é um termo depravado; tenho-o usado repetidamente neste capítulo, mas soa-me sempre a canalha.

É um termo que cheira a cinismo e hedonismo oriental» (Chesterton).

«Gostar de mulheres» é, de facto, uma banalidade um pouco canalha; mas «gostar de uma mulher» é um acontecimento.

fotos com a namorada

Damiel (Bruno Ganz) descobre o amor de uma mulher e torna-se humano: «Agora sei o que nenhum anjo sabe».

As fotografias são do fotógrafo russo Murad Osmann: andou pelo mundo e fotografou-o, de mão dada com a namorada.

Descobri-o aqui.