“Le souvenir est le parfum de l´âme” – (George Sand).


9 comentários

Boleima de maçã

A boleima é um dos meus doces tradicionais favoritos do Alentejo;

mas tem de ser a boleima de maçã e caseira, claro.

A da Avó Silvana é das melhores, mas esta que as Anas fizeram está igualmente excelente.

Ingredientes:

1kg de massa de pão;

250g de banha de qualidade (de porco preto);

açúcar amarelo;

canela;

50g de farinha de trigo;

maçãs e nozes picadas.

1- Trabalha-se a massa de pão com farinha.

pesar-a-massa-de-pao

2- Em seguida, vão-se fazendo furos na massa onde se vai introduzindo a banha, mas sem amassar.

ingredientes-da-boleima

3-Fazem-se bolos redondos desta massa, que se espalmam e se colocam num tabuleiro.

4- Polvilha-se o centro destes discos com açúcar e canela e, querendo, fatias finas de maçã e nozes picadas.

macas-cortadas-para-boleima

recheio-da-boleima-de-maca-e-nozes

5- Põe-se em cima de cada disco uma bola de massa também achatada, mas de diâmetro inferior, de modo a deixar uma orla em toda a volta da rodela.

6-Polvilha-se novamente a boleima com açúcar e canela.

boleima-antes-de-ir-ao-forno

7- Da boleima inferior, puxam-se quatro tiras que se fazem passar sobre a boleima juntando-se ao meio.

(Colocam-se gotas de água por cima da boleima, antes desta ir ao forno, para o açúcar, que foi polvilhado, não queimar: dica preciosa da Ana).

8- Levam-se a cozer em forno moderadamente quente.

boleima-de-maca-depois-de-cozida

É um perigo: o nosso tabuleiro desapareceu em dois dias!

A receita da Boleima de Castelo de Vide está no Livro, na página 255.

 

 

 

 

 


4 comentários

Bolo finto

No Alentejo, o bolo finto é um clássico.

Devo dizer que não aderi de imediato, porque a aldeia dos meus antepassados é uma aldeia de padeiras e o Bolo das Alhadas educou-me o paladar da infância.

O bolo finto tem um sabor intenso a erva-doce que não me agrada;

no entanto, eu só tinha provado bolo finto industrial.

Que sabia eu?

Não imaginam como é diferente do cozido em casa.

Quando a Ana nos desafiou para uma tarde no forno, nos planos também estava o bolo finto.

Bolo Finto

Ingredientes:

1,5 kg de farinha

500g massa de pão (receita já testada aqui)

1,5dl de leite

12g de canela

12g de erva-doce

1/2 cálice de aguardente

raspa de casca de 1 laranja

1,5dl de azeite

1 casca de limão

10 a 12 ovos (conforme o tamanho)

1-Coze-se a erva-doce num pouco de água, côa-se a água e guarda-se.

2-Ferve-se o azeite com a casca de limão.

3-Peneira-se a farinha para um alguidar e junta-se-lhe o pão em massa, o leite, a canela, o açúcar, a aguardente, a raspa da casca de laranja e vão-se amassando estes  ingredientes, primeiro com a água de cozer a erva-doce e depois com os ovos, juntando-os à medida que a massa os vai absorvendo.

4-Quando a massa fizer bolhas, polvilha-se com mais farinha, tapa-se com um cobertor e deixa-se levedar durante 24 horas.

5-Em seguida, e sempre com a ajuda da farinha, divide-se a massa em vários bocados de modo a fazerem-se bolos redondos com o diâmetro de 10 a 12 cm.

tender-e-moldar-bolo-finto

A fintar os bolos fintos!

A fintar os bolos fintos!

bolo-finto-em-massa

6-Colocam-se em tabuleiros, deixam-se levedar um pouco e cozem-se em forno forte.

Uma equipa extraordinária... amigos queridos!

Uma equipa extraordinária… amigos queridos!

6-À medida que os bolos forem saindo do forno, pincelam-se com ovo batido.

bolo-finto-sair-do-forno

Eu comi um bolo numa tarde, mas aqui em casa há quem tenha comido um bolo numa dentada!

A receita foi retirada do livro que há em casa de todos os portugueses, na página 255 – Bolos de Festa de Alpalhão.

E ainda me falta mostrar-vos a Boleima de Maçã!

 


5 comentários

Chico

Há paixões musicais que duram toda a vida e não dependem do momento que estamos a atravessar.

Chico Buarque mantém o mesmo efeito em mim, mesmo após mais de vinte anos de convivência.

O deslumbramento permanece.

Caetano dizia que as mulheres de Chico eram as mais fascinantes e é verdade.

A Beatriz deve o seu nome a uma dessas mulheres.

Na voz de Chico, todas as palavras são intensas e melodiosas.

Esta música sempre me intrigou: pela letra e pelo facto do Chico conseguir cantar a palavra “escafandrista” .

Já este dueto mostra a Chiara Civello a cantar com o Chico com o ar que eu teria se tivesse o talento e a oportunidade da Chiara.

As paixões de tantos anos comprovam que na essência somos os mesmos e que os destinatários do nosso encanto são os certos.

Certos, não, Perfeitos.

 


2 comentários

Cheesecake de Cacau e Licor de Laranja

Quando vi esta receita no blog da Guida, Panela sem Depressão, fiquei hipnotizada.

Como não tinha Irish cream, decidi fazer um cheesecake todo alentejano, com Licor de Laranja da Licoreira da Villa (de Borba!).

cheesecake-de-cacau-e-licor

Ingredientes:

óleo vegetal

185 g de bolachas de chocolate

55 g de manteiga

200 g de chocolate de leite

200 g de chocolate negro (70% cacau)

50 g de açúcar amarelo

350 g de queijo creme

3 colheres de sopa de licor de laranja

  • Forre a base da forma com cerca de 20 cm de diâmetro com papel vegetal ou pincele com óleo vegetal
  • Esmague as bolachas com um rolo de massa ou no processador de alimentos
  • Derreta a manteiga e adicione às bolachas
  • Coloque na base da forma e pressione
  • Leve ao frigorífico pelo menos 1 hora
  • Derreta os dois chocolates em banho-maria e deixe arrefecer
  • Junte o açúcar e o queijo creme e bata até ficar macio
  • Adicione  a mistura de chocolates e o licor
  • Coloque na forma e leve ao frigorífico pelo menos duas horas
  • Transfira para o prato de servir e decore como lhe agradar

cheesecake-de-cacau-e-licor-de-laranja

Uma sobremesa de Inverno para apreciadores de chocolate (como diz a Guida, ou seja, para mim), mas nada enjoativa.

O licor de qualidade, na versão alentejana, fez a diferença, sem dúvida: a combinação do cacau com o aroma da laranja é divinal.

A receita foi copiada do blog cada vez mais inspirador da Guida!

 


1 Comentário

Desejos

Foi por esta altura, há 2000 anos que as estrelas alteraram a sua rota!

Ganharam poderes, rebrilharam, comunicaram com os homens e anunciaram o Salvador.

O meu desafio para esta época consiste em olharmos de novo para as estrelas;

quem sabe não encontraremos um sinal que nos oriente e salve…

ou pelo menos que ajude a concretizar os nossos desejos mais íntimos!

bolachas-de-cacau-e-gengibre

Que sejam estrelas promissoras e cheias de doçura!

Estas da imagem são Bolachas de Cacau e Gengibre!

300g de farinha de trigo

100g de farinha de trigo integral

1 colher de café de bicarbonato de sódio

2 colheres de chá de gengibre em pó (ou 1 de gengibre ralado muito finamente)

1 colher de chá de canela

1/4 colher de chá de noz moscada

1/4 colher de chá de cravinho

1 colher de café de flor de sal

100g de manteiga sem sal + 2 colher de sopa de manteiga de amendoim ou 2 colheres de sopa de azeite

100g de chocolate derretido (80%cacau; hei-de experimentar com 99%)

100g açúcar mascavado

2/3 de uma caneca de mel

1 ovo grande batido

1-Bater a manteiga com o açúcar até obter uma mistura esbranquiçada.

2- Juntar o chocolate, o ovo, o mel e continuar a bater.

3- Adicionar gradualmente a mistura (prévia) das farinhas, sal, bicarbonato e especiarias.

4-Levar ao frigorífico 2 horas ou toda a noite.

5- Moldar e levar ao forno aquecido previamente a 180ºC durante 8-10 minutos.

São um perigo!

Faço sempre a receita a dobrar!

Desta vez, fiz a quadruplicar porque são o presente de Natal de muitas pessoas que nos são queridas:

para mim, é importante transformar os afectos em gestos concretos e oferecer algo que demorou tempo a fazer.

Enquanto amassamos e tendemos a massa pensamos nas pessoas de quem gostamos, revivemos os motivos pelas quais estão no nosso coração e paramos para “olhar” para elas.

As bolachas saem do forno e as memórias  das nossas queridas pessoas ficam perfumadas!

Experimentem!

Feliz Natal!

Muito perfumado!

Votos de muita sorte na observação das estrelas!

 


6 comentários

Bolachas de centeio, nozes e mirtilos

Nós adoramos bolachas, muito!

Estas são a nossa última versão, com muito sucesso cá em casa.

300g de farinha sem fermento

100g de farinha integral

1 colher de chá rasa de bicarbonato de sódio

1 colher de chá rasa de fermento em pó

1 colher de sal de flor de sal (faz diferença)

200g de açúcar mascavado escuro

100g de açúcar amarelo

200g de manteiga sem sal

2 ovos ligeiramente batidos

1 colher de chá de essência de baunilha

2 colheres de sopa de leite

220g de flocos de centeio integrais

100g de mirtilos

100g de nozes

100g de chocolate preto, 85% cacau

1- Bater os açúcares e a manteiga até formar um creme.

2- Adicionar, muito lentamente, os ovos, a baunilha e o leite, batendo sempre até obter um creme liso.

3- Misturar a farinha, o bicarbonato, o fermento e a flor de sal, previamente misturados e peneirados, e mexer bem.

4- Juntar os flocos e os mirtilos.

5- Com uma colher de sopa, espalhar uma pequena quantidade de massa num tabuleiro forrado com papel vegetal.

6- Espalmar bem cada colher de massa e decorar com nozes e/ou pedacinhos de cacau. (Quanto mais finas ficarem, mais estaladiças!)

7- Deixar 5cm de distância entre cada bolacha.

8- Levar ao forno previamente aquecido a 180ºC e vigiar durante 10 minutos.

Esta quantidade de ingredientes dá, aproximadamente, 45/50 bolachas de tamanho regular.

bolachas-de-centeio-e-mirtilos

Se entrarem em versão Monstro das Bolachas, serão menos…

bolacha-gigante-de-centeio-mirtilo-e-cacau